0800 940 8840
Horário de atendimento:
24 horas
TUI DE

"Street art" em Berlim: muito mais que grafite

Grafite: arte de rua
Arte de rua em um edifício
Street Art

© Günter Steffen / visitBerlin © Grothaus / visitBerlin

Não há um canto em Berlim que não esteja marcado pela arte de rua. É um roteiro alternativo tão cheio de arte como um museu.
A arte urbana é muito mais do que uma moda em Berlim. É uma forma de reivindicação que começou no início da década de 1980, sobretudo no lado ocidental da cidade. Naquela época, anarquistas e imigrantes de bairros como Kreuzberg usaram o Muro como tela em branco para expressar seus protestos. Na parte oriental, contudo, a prática era impedida por uma forte presença policial.

Depois da reunificação, Berlim tornou-se um dos destinos preferidos da Europa para grafiteiros de todo o mundo. Os alvos dos artistas berlinenses eram espaços destruídos e edifícios abandonados, numerosos em uma cidade que ainda hoje está em reconstrução. O grafite foi, é e será uma forma de renovar a imagem de lugares vazios e em ruínas.

A expansão do grafite e da arte urbana foi possível graças a uma lei bastante permissiva. Apesar deste tipo de pintura ser ilegal, o certo é que, na maioria dos espaços públicos do município, há uma certa permissividade, salvo nos vagões dos transportes públicos. Grafitar trens pode render multas de até 2.000 euros, penalização alta considerando-se o perfil de quem costuma fazer isso - jovens e adolescentes de bairros periféricos. Artistas de renome, alguns dos quais vivem exclusivamente disso, costumam escolher lugares concretos.

O bairro Mitte é o que reúne o maior número de obras de rua. Por exemplo, ao redor da Rosenthaler Strasse, pode-se encontrar uma grande quantidade de trabalhos de estilos variados: recortes ("cut outs"), cartazes, colagens, etc. Outro endereço a se ter em conta no passeio pelas obras de "street art" do município é Kreuzberg. Aqui, é preciso mais esforço para encontrá-las em comparação com o Mitte, mas você pode localizar algumas delas ao dar uma volta por vias como Oranienstrasse e Adalbertstrasse.

Também vale a pena destacar uma das zonas da moda da cidade - Schönhauser Strasse -, onde o legendário Banksy imprimiu sua marca. Berlim é uma das capitais preferidas do artista britânico para deixar seu rastro. Seu rastro, não sua assinatura. Se há algo que caracteriza este tipo de artistas, é a procura pelo anonimato. A maioria desenvolve um estilo único, mas decide manter a própria identidade oculta. Grupos como Street Art Berlin (www.streetartbln.com) encarregam-se de promover a imagem deste coletivo, além de organizar eventos e produzir um arquivo gráfico com as peças que vão aparecendo pela cidade. Também acabam funcionando como elo entre os meios de comunicação e os grafiteiros e chegam até a assessorar quem queira ir a Berlim para grafitar, informando qual é a melhor forma de fazer isso.

Banksy, o rei da arte de rua

Se há um personagem principal da arte urbana, é Banksy. Por meio de obras com forte toque satírico, elabora críticas políticas audazes. Alguns dos seus trabalhos alcançaram cifras milionárias em leilões. Tal é sua fama que tem numerosos imitadores. Cada vez que aparece um grafite com seu nome, cria-se um intenso debate. Uma das suas cidades preferidas para grafitar é Berlim, onde estão algumas das suas obras mais famosas.

Roteiro do grafite

O interesse que este tipo de expressão artística desperta é tanto que já existem vários tipos de visitas guiadas para ver as obras de "street art" mais famosas da cidade. O objetivo é descobrir as últimas tendências. Além de passeios pelos bairros, são organizados workshops para quem quiser se iniciar neste mundo e dar rédea solta à criatividade com um spray na mão.