0800 940 8840
Horário de atendimento:
24 horas
TUI DE

Os bares reciclados de Budapeste

Os bares reciclados de Budapeste
Os bares reciclados de Budapeste
Os bares reciclados de Budapeste

daniel.edwins via VisualHunt.com / CC BY-SA

Com a criação dos 'ruin pubs', Budapeste levou ao pé da letra aquela velha ideia de renovar ou morrer.
Os 'ruin pubs' são uma das atuais atrações turísticas da capital húngara. Podem ser definidos como bares situados no interior ou ao lado de edifícios em ruínas e que aproveitam esse estado de deterioração para cultivar uma estética vintage. Assim, essas construções ganham nova vida ao mesmo tempo em que conservam um ar decadente e animam a vida noturna da cidade.

A explicação da proliferação deste tipo de estabelecimentos é simples. Em Budapeste, os aluguéis destes imóveis são escandalosamente baratos e, graças a isso, muitos jovens assumem os custos e a administração desses prédios. Atualmente, Budapeste tem mais de vinte 'ruin pubs'.

Apesar do nome em inglês, estes locais não estão literalmente em ruínas, pois isso impediria o aluguel. O estado real é mais de deterioração pela passagem do tempo e por intempéries, o que acaba sendo compensado por uma sofisticada decoração interior. Os looks costumam ter inspiração hipster, com bicicletas suspensas no teto, aquários, banheiras que fazem papel de sofás, peças de carro que substituem mesas, paredes com grafite, mobiliário com mais de meio século de existência e até brinquedos antigos. Tudo para criar uma atmosfera única e surrealista.

O Szimpla Kert, que fica no número 14 da rua Kazinczy, é o mais famoso deles e um autêntico lugar de culto. A pouco mais de duas ruas dali, você encontra o Corvintető, seu principal concorrente, um dos lugares da moda e com uma cobertura que oferece excelentes vistas da cidade. Mas o mais eclético de todos é o Instant, cujo interior é cheio de ambientes diferentes nos quais é possível ver desde grafites e materiais de limpeza até antigas obras de arte.

Ao contrário do que pode parecer, este ambiente decadente e alternativo não deu as costas à proteção e ao amparo governamental. A Pérola do Danúbio soube perceber o filão que este locais constituem para impulsionar o turismo e decidiu ajudar a divulgá-los e até a criar passeios guiados. Esta boa relação com a administração do município é relativamente recente, do começo do século XXI. Antes, também existiam bares funcionando em edifícios abandonados, mas eram considerados clandestinos e ilegais. Os primeiros ‘ruin pubs’ não tinham sede fixa e mudavam de endereço quando a polícia pedia o fechamento.

Mas os ‘ruin pubs’ foram além da decoração criativa e permitem fazer muito mais do que beber cerveja e comer suculentos hambúrgueres gastando pouco. Os bares em ruínas são um ponto de encontro cultural e lugar de debates políticos, eventos sobre cinema (cujos filmes, em muitos casos, são projetados ali mesmo), shows, peças de teatro, feiras de produtos de segundo mão ou sessões de autógrafos de livros. E, como não podia de ser, festas. Os 'ruin pubs' foram roubando território às discotecas convencionais e não é raro encontrar DJs de renome internacional animando o ambiente.

Estes locais têm a receita do melhor coquetel da cidade: talento, diversão, originalidade e preços baixos. Este é o segredo dos 'ruin pubs'.

Szimpla Kert, o pioneiro

O primeiro espaço que ousou experimentar esta modalidade de lazer foi o Szimpla Kert. Este bar abriu as portas em 2002, criando um antes e um depois na vida noturna de Budapeste. Apesar da passagem dos anos, continua encabeçando a lista dos 'ruin pubs' preferidos dos moradores e dos turistas. Sua fama é merecida, pois foi considerado o terceiro melhor bar do mundo pelo guia "Lonely Planet".

Diversão decadente e contagiante

O modelo 'ruin pub' vem sendo exportado para outras cidades europeias como Madri, Barcelona ou Berlim. A localização deste tipo de local em edifícios centenários faz com que estejam, de forma geral, em zonas mais centrais, onde costuma haver muitos imóveis nestas condições.