0800 940 8840
Horário de atendimento:
24 horas
TUI DE

Florença natural

Áreas verdes do Jardim de Boboli.
Jardim de Boboli.
Povoado de Chianti.
Cueva de Buontalenti
Entrada a la cueva de Buontalenti

Embora não seja o patrimônio natural de Florença que atrai turistas, a capital da Toscana tem belas zonas verdes capazes de seduzir com a mesma força que suas galerias de arte.
Ainda que seja certo que uma visita a Florença é normalmente motivada pelo mítico David de Michelangelo, o Duomo ou sua riqueza cultural, se prestar atenção e souber se perder em lugares como o Jardim de Boboli, você vai descobrir que o lado verde da capital Toscana é igualmente arrebatador. Esta zona verde é precisamente um dos lugares mais oníricos e simbólicos da cidade. Envolvendo o Palácio Pitti, é um enorme parque e uma excelente opção para, por um dia, descansar dos monumentos e esculturas, respirar ar fresco e dar longos passeios.

Seus imponentes carvalhos, espaçados entre fontes e esculturas, marcam um ritmo que combina o esplendor da arte com a arquitetura da natureza. Seu equilíbrio e sua beleza são tais que se tornou o jardim que inspirou a maior parte dos jardins das cortes reais europeias, especialmente o do Palácio de Versalhes, na França.

O jardim pertenceu às famílias Borgolo e Pitti, mas foi apenas depois de o palácio ter passado para as mãos dos Médici, no século XVI, que Cosimo I deu ao local sua configuração atual com o fim de agradar sua esposa, Eleonora de Toledo. A inclinação da colina foi aproveitada para construir um anfiteatro e desviou-se água do rio Arno para alimentar a famosa Fonte de Netuno, rebatizada pelos florentinos como “o garfo”, e para regar as áreas verdes que rodeiam esculturas romanas, renascentistas e barrocas.

A gruta de Buontalenti, também conhecida como a "grande gruta”, é um dos seus espaços mais admirados. Iniciada por Giorgio Vasari e construída principalmente por Bernardo Buontalenti entre 1583 e 1593, é uma edifício que imita uma caverna natural. A água foi distribuída pela sala de forma engenhosa de modo que, quando os raios de luz são filtrados pelos contornos do espaço, o cenário fica com um aspecto ainda mais onírico. Este jogo de ilusões é especialmente visível na primeira seção, pintada para criar este efeito e assim dar a sensação de estar cercado por animais. Esta caverna já chegou a abrigar uma exposição dos "escravos" de Michelangelo, hoje instalados na Galleria della Academia. Há uma segunda área, muito escondida, onde você poderá descobrir uma estátua de Vênus esculpida por Giambologna.

Menos conhecidos e extensos do que Boboli, o Jardim de Bardini é também um refúgio interessante com uma bela vista. Como recebe menos turistas, é possível apreciá-lo mais tranquilamente. Florença tem, portanto, um lado verde para desfrutar com a mesma intensidade que seus museus e igrejas.

Idílico jardim de rosas

É possível ver mais de cem tipos diferentes de rosas no jardim de rosas, um espaço verde pequeno mas idílico. Localizado ao lado da Piazzale Michelangelo, trata-se do mais famoso terraço panorâmico de Florença. O jardim, construído em 1865, ocupa cerca de um hectare. O governo municipal encomendou o projeto ao arquiteto Giuseppe Poggi, responsável pela renovação do lado esquerdo do rio Arno. Além de rosas, o jardim tem bonitos limoeiros.

Parada em Chianti

Se queremos explorar os arredores de Florença em busca de paisagens verdes e lugares encantadores, Chianti é uma das vilas italianas em que deverá de caminho a Siena. Chianti é bem conhecida por causa dos seus amplos vinhedos que se estendem a outras áreas como Arezzo, Pistoia e Montepulciano. A paisagem local caracteriza-se por
colinas verdes cobertas com vastas áreas de vinhedos e oliveiras, pequenos povoados e casas de campo de pedra.