0800 940 8840
Horário de atendimento:
24 horas
TUI DE

Havana, cenário de cinema

"Morango e Chocolate"
"7 Dias em Havana"
Sloppy Joe's
Palagar La Guarida
Crianças brincando no bairro marginal

ahisgett / Foter / CC BY

Essa decadência tão peculiar de Havana é o melhor cenário para qualquer filme. Suas ruas escondem histórias que foram parar em vários filmes e documentários.
Entre todos os filmes gravados em Havana, "Morango e Chocolate", de Tomás Gutiérrez Alea e Juan Carlos Tabío (1994), é, provavelmente, o mais conhecido internacionalmente. Este premiado drama denuncia a intolerância com a orientação sexual homossexual na Cuba da década de 1970. "Bem-vindo a La Guarida", diz Diego (Jorge Perugorría) a David (Vladimir Cruz) quando se encontram e começam a se relacionar. O filme está baseado no conto "O Lobo, o Bosque e o Homem Novo" e recebeu vários prêmios nacionais e internacionais. Além da questão homossexual, "Morango e Chocolate" é uma boa ilustração da vida cotidiana em Havana e de locais como o Paladar La Guarida, um dos mais famosos da cidade e visita imprescindível para conhecer a gastronomia local. Passados muitos anos, pode-se dizer que a cidade é muito mais tolerante.

O dia a dia da capital também é retratado pelo documentário "Suíte Havana" (2003, Fernando Pérez) de maneira intimista e usando como cenário lugares como o Malecón e outros bairros centrais. O mesmo acontece em outros trabalhos do diretor, por exemplo "Clandestinos", "Hello Hemingway", "Madagascar", "Viver é Assobiar" ou "Últimos dias em Havana". O documentário "Suíte Havana" relata a vida dos grupos sociais que surgiram na primeira década do século XXI na capital cubana. Foi premiado em duas ocasiões e causou um grande impacto no público cubano. Seus personagens são reais e plasmam na tela as histórias das suas vidas.

No entanto, nem todos os filmes que têm "Havana" no título foram filmados na cidade do Malecón. É o caso de "O Rei de Havana", rodado na República Dominicana. Dirigido por Agustí Villaronga, é baseado no romance homônimo do escritor cubano Pedro Juan Gutiérrez e descreve a Cuba dos anos 1990. O mesmo ocorre com "Coisas que deixei em Havana", dirigido por Manuel Gutiérrez Aragón e filmado na Espanha. Entretanto, o mesmo diretor gravou "Uma Rosa da França" (2006) na capital cubana. O protagonista é Jorge Perugorría, contrabandista sem escrúpulos que, na época pré-revolucionária (anos 1950), abandona um grupo de emigrantes que tentava chegar aos Estados Unidos em uma baía. O filme foi gravado em lugares como o Castelo do Morro ou Cayo Romero.

Na mesma linha de "Cidade de Deus" e "Quem Quer ser um Milionário?", "Habanastation" (2011), de Ian Padrón, conta a emocionante história de dois meninos de classes sociais diferentes, mas com muito em comum. Eles passam um dia juntos (um dia primeiro de maio) e passam a ver a vida de de forma completamente diferente. Tudo isso em um ambiente marginal como o que se respira no bairro de La Tinta, junto à Praça da Revolução.

Em 1959, Carol Reed levou para as telonas o romance de Graham Greene "O Nosso Homem em Havana", protagonizado por Sir Alec Guinness. Trata-se de uma comédia que descreve os últimos anos da ditadura de Batista. Algumas sequências foram filmadas no mítico Sloppy Joe’s, muito frequentado pelo romancista e por vários atores de Hollywood. Embora tenha permanecido fechado durante várias décadas, voltou a abrir as portas e conserva a decoração original que aparece no filme.

Hemingway, o melhor guia de Havana

O primeiro filme "made in Hollywood" foi filmado em solo cubano em 2014. "Papa" (apelido pelo qual era conhecido Ernest Hemingway) narra a vida do escritor norte-americano a partir dos mesmos cenários onde viveu seus últimos anos na cidade caribenha: o Grande Teatro de Havana, a Fortaleza do Morro, o Palácio Presidencial, o hotel Ambos Mundos... Mesmo tendo passado meio século desde então, a maioria desses cenários continua em perfeito estado: é como se o tempo não tivesse passado por eles e como se o Nobel de literatura ainda vivesse na sua querida ilha.

Sete diretores para sete histórias

A produção franco-espanhola "7 dias em Havana", filmada em 2012, percorre os lugares mais emblemáticos da cidade do ponto de vista de sete diretores internacionais. Uma fotografia instantânea de Havana e um retrato contemporâneo de uma cidade elétrica em forma de um longa-metragem composto por sete capítulos, sempre com espaços como o Hotel Nacional de Cuba ou o Malecón como panos de fundo. Uma viagem completa por esta cidade que não deixa ninguém indiferente, seja visitante ou espectador.