0800 940 8840
Horário de atendimento:
24 horas
TUI DE

Mergulhando nas Maldivas

Mergulhadores com tubarão.
Menina preparada para fazer esnórquel.
Surfista.
Pesca noturna em um dhoni.
Whale Submarine.

Os imensos recifes que rodeiam as ilhas Maldivas fizeram delas um dos melhores destinos do mundo para o mergulho e para a prática de esnórquel.
As correntes de água quente que atravessam as ilhas criaram um mundo submarino extraordinário que vale a pena conhecer alguma vez na vida. Para mergulhar, é preciso ter uma licença de mergulho que certifique uma aprendizagem prévia. Principiantes podem recorrer às escolas de mergulho de numerosos resorts, locais que permitem a obtenção da licença. Também é possível alugar tudo o que é necessário para a imersão no oceano e contratar o transporte de barco até os locais de mergulho.

Com mais de 1.000 espécies aquáticas vivendo entre 3.000 recifes de coral, e com uma visibilidade de até 50 metros de profundidade, a menor preocupação é decidir onde mergulhar. Alguns dos melhores locais estão no atol Vaavu e no Lhaviyani, onde tubarões cinzentos e raias convivem com centenas de peixes. As águas do atol Ari se destacam por sua exuberância e, por isso mesmo, é um dos lugares preferidos dos mergulhadores para ver exemplares de tubarão-martelo e raia. Por outro lado, o fundo do mar do atol Malé Norte é minimalista. Suas águas são mais tranquilas e os peixes de maiores dimensões não frequentam seus recifes. Isso explica a melhor conservação de seus corais, assim como a presença de espécies menores e uma flora mais delicada. Lá, muitos mergulhadores optam por fazer descidas noturnas com lanternas.

Já para praticar esnórquel, não é preciso licença nem equipamentos complicados: apenas óculos, pés de pato e o tubo acoplado ao óculos, um kit que você pode alugar nas praias ou mesmo usar gratuitamente. A ilha Vilamendhoo, no atol Ari Sul, é uma das mais adequadas para quem prefere ficar na superfície da água. Também há excursões com destino aos recifes mais povoados ou à praia Vaadhoo, no atol Raa, onde banhistas noturnos podem apreciar o fundo do mar sob o efeito mágico da bioluminescência.

Se sua praia é o surfe, a melhor época do ano nas Maldivas vai de abril a outubro, embora as ondas atinjam maiores dimensões entre junho e setembro. Os lugares preferidos dos surfistas estão no atol Norte e Sul de Malé, onde se encontram os resorts dedicados à prática desse esporte. As melhores praias da região são Chickens, Coke's, Lohis, Ninja e Sultans. Elas se destacam por terem tubos rápidos e consistentes e ondas de direita e esquerda que atingem até 130 metros de comprimento. Essas características garantem a surfistas de qualquer nível uma experiência única.

Para amantes da água que não gostam de se molhar, a pesca, diurna ou noturna, é uma boa alternativa. Dependendo da época do ano, os dhonis e os barcos de pesca se dirigem para o atol Norte ou Sul de Malé. Pela manhã, muito cedo ou antes do pôr do sol, zarpam em direção às áreas mais frequentadas pelos peixes, o que permitirá que você pratique, ou aprenda, a arte do anzol e da linha. Comer peixe a bordo de uma embarcação ou na praia costuma ser o ponto alto da aventura. Mais fresco é impossível.

Mergulho noturno debaixo de um mar de estrelas

As Maldivas escondem segredos que precisam ser apreciados ao vivo, como o fenômeno mágico que se produz na praia Vaadhoo, em uma ilha desabitada do atol Raa. O espetáculo da bioluminescência ocorre quando o fitoplâncton reage com o oxigênio, gerando luz própria. Nas noites quentes e sem luar, os turistas mais românticos passeiam pela margem deste "mar de estrelas" para levar consigo esta recordação inesquecível. Já os mergulhadores apagam suas lanternas, agitam as águas e desencadeiam uma tempestade de luzes à sua volta.

"We all live in a whale submarine..."

Para quem adora apreciar os tesouros marinhos mas não está com vontade de se molhar muito, o Whale Submarine é uma boa opção. Trata-se de um barco que parte do cais de Malé várias vezes ao dia. Ao chegar a um recife, 50 passageiros trocam de embarcação e entram em um submarino, veículo que se submerge de 10 a 40 metros para que os visitantes possam apreciar a paisagem do fundo do mar sem ter de encarar uma única gota d'água. O interior está equipado com ar-condicionado e a pressão atmosférica é normal.