0800 940 8840
Horário de atendimento:
24 horas
TUI DE

As belezas escondidas da BR 101

Farol do Calcanhar, em Touros
A Árvore do Amor, em Cabo de São Roque
Vista da praia em Barra de Maxaranguape
Homem desce de tirolesa na Lagoa de Jacumã
Praia de Zumbi

Surpreenda-se com as praias pouco concorridas do litoral potiguar.
A BR 101 é um prato cheio para o viajante que quer descobrir novas praias: paralela ao mar e com várias saídas em todo o litoral do Nordeste, é uma opção certeira para quem quer fazer paradas sem perder o rumo. O litoral potiguar está repleto de praias conhecidas, em cidadezinhas turísticas bem estruturadas com rede hoteleira e serviços, como Genipabu, ao norte, e Tibaú do Sul, ao sul de Natal. Mas para quem procura aventura, o melhor é deixar ao acaso a missão de encontrar um canto de sossego sob a sombra de um coqueiro desconhecido.

A estrada federal que vai até o Rio Grande do Sul, com 4.542 quilômetros de extensão, começa na cidade de Touros, a 85 quilômetros ao norte de Natal. O Marco Zero da rodovia é um atrativo para quem visita a localidade - fazer uma foto na placa que indica o início da estrada é quase obrigatório para o turista que vai pela primeira vez. Além de belas praias, Touros abriga o Farol do Calcanhar, uma construção centenária da Marinha, e o Marco de Touros, um registro da chegada dos portugueses no país.

Ao sul de Touros, seguindo sempre pela BR 101, estão as praias de Rio do Fogo e Zumbi. Menos concorridas que as de Maracajaú, possuem riachos que desembocam no mar, pequenas vilas de pescadores e muitas dunas, formadas pelo vento. Aliás, esse é o grande companheiro de viagem de quem visita o Rio Grande do Norte (pelo caminho há vários parques de turbinas eólicas).

Em Santa Rita, que fica entre Genipabu e Redinha, mais dunas que começam e acabam no mar, assim como em Ponta Gorda e Punaú. Ao lado desta última está Pitinga, desde onde é possível avistar um navio afundado no começo do século XIX, quando a maré está baixa, desde a Ponta do Coconho.

Muriú, a 33 quilômetros de Natal, e Graçandú, a 25, são outras praias pouco visitadas, que possuem belezas naturais, como piscinas que se formam na maré baixa, dunas e lagoas próximas às praias. Como não possuem tantas barracas como outras cidades, a dica é levar água e comida para consumir enquanto durar o passeio.

Outra parada interessante, entre Muriú e Graçandú, é Jacumã, onde fica uma lagoa de águas verdes e vários quiosques ao redor, ideal para curtir o fim de tarde. A atração principal é a tirolesa que acaba no meio da lagoa, levando o visitante pendurado em uma espécie de balanço do alto de uma duna até o banho refrescante, para amortecer a adrenalina da queda. A brincadeira é conhecida como ‘aerobunda’, em referência a outra atividade praticada em diversas praias potiguares, o ‘skibunda’.

Cabo de São Roque

A praia de Cabo de São Roque é conhecida na região pela Árvore do Amor, que na verdade são duas gameleiras. O vento se encarregou de unir ambas, uma inclinada sobre a outra, com as raízes à vista. É comum ver casais tirando selfies e beijando-se à sua sombra. Em Cabo de São Roque tem também o Farol de São Roque e grandes falésias.

Barra de Maxaranguape

Famoso destino de Carnaval no Rio Grande do Norte, Barra de Maxaranguape tem lindas praias e muito sossego durante o resto do ano. Vale conhecer para se deliciar em arrecifes que formam piscinas naturais de águas quentes e calmas, no encontro do Rio Maxaranguape com o mar.